Congregação Judaica Shaarei Shalom – שערי שלום

Tempo de leitura: 1 Minuto

A palavra “mandamento” é traduzida como “Tetzaveh”, que significa “ordem”, e aparece em Shemot/Êxodo 27:20. De acordo com Rashi, essa palavra implica continuidade e permanência, indicando que este mandamento é obrigatório para sempre.

Maimônides explica que o propósito de coletar azeite puro de oliva dos israelitas era garantir que a chama da menorá queimasse continuamente, simbolizando a natureza eterna da presença de D’us no Santuário.

O Talmud

No Talmud (Shabat 63a), é ensinado que a luz da menorá representa a Torá, que traz luz e sabedoria para o mundo. A exigência de acender a menorá todos os dias, do anoitecer até a manhã seguinte, significa a necessidade contínua de estudar e aplicar os ensinamentos da Torá.

A vestimenta sacerdotal descrita nesta parasha é significativa, pois serve como um lembrete dos deveres sagrados dos kohanim. O Kuzari observa que o linho branco das roupas simboliza a pureza e o fio de ouro representa riqueza e honra.

Na tradição mística da Cabala, entende-se que as vestimentas sacerdotais correspondem a várias sefirot, ou atributos divinos. Por exemplo, o ketonet representa a sefirá de tiferet (harmonia e beleza), enquanto o avnet simboliza a sefirá de yesod (fundação).

Finalmente, a ordenação de sete dias de Arão e seus filhos – Nadav, Avihu, Elazar e Itamar – representa um processo transformador, pois são elevados de indivíduos comuns a sacerdotes sagrados. A construção do altar de ouro, segundo o Zohar, representa a elevação de nossas orações aos mais altos planos espirituais.


Fonte:

Rashi: Comentário sobre Êxodo 27:20
Maimônides: Mishneh Torah, Hilchot Beit HaBechirah 9:1
Talmud: Shabbat 63a
Kuzari: Rabino Yehuda Halevi, O Kuzari, Parte 2, Seção 25
Cabala: O Zohar, Parashat Tetzaveh

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *