Congregação Judaica Shaarei Shalom – שערי שלום

Tempo de leitura: 2 Minutos

(Por: Rabino Yoel Lax)

A porção da Torá desta semana trata da construção do tabernáculo no deserto. Terumah significa “contribuição”, que indica as contribuições que o povo judeu deu para seu fundo de construção.

Embora a pergunta precise ser feita; por que nomear a porção da Torá que trata dela conforme a contribuição humana e não o fator celestial?

O Pensamento Chassídico Clássico explica que D’us inseriu uma cláusula em Seu plano.

Antes de mais nada, qual é esse plano? Cabe a nós revelarmos a presença de D’us neste mundo, tanto quanto pudermos. No entanto, devemos fazer isso pouco a pouco e não de uma só vez.

Então, qual é a cláusula no plano? A cláusula é que essa bondade ocorrerá por nossos esforços, os do homem.

Quando D’us nos deu a Torá, Ele revelou seu plano para nós. Isso significava que, através de nossos próprios esforços, podemos revelar Sua presença no mundo. Assim, vivendo conforme a Torá e cumprindo as Mitzvot, os mandamentos religiosos, nós mesmos podemos colocar este plano em ação.

No entanto, naquele momento, tudo até agora viera de D’us.

Foi somente agora, durante a porção da Torá de Terumah, que o homem fez um esforço para realizar o plano de D’us.

Portanto, o título de Terumah da Parasha desta semana conota os esforços do homem e não o aspecto divino dele.

No entanto, todo o edifício do tabernáculo levanta uma questão importante:

Por que se incomodar em ler sobre o tabernáculo, pois era apenas uma estrutura temporária para a permanência do povo judeu no deserto sendo substituído pelo Templo Sagrado em Jerusalém. Certamente o tabernáculo parece assim obsoleto?

Podemos responder a isso comparando o Templo com o Tabernáculo. Este último possuía uma vantagem particular que o Templo não possuía.

O tabernáculo era portátil – não apenas no sentido de conveniência, mas na medida em que era capaz de alcançar e inspirar contribuições até mesmo para as terras mais distantes e menos generosas – o deserto.

Assim, lemos a porção da Torá de Terumah ano após ano. Ele nos ensina a importante lição de ir até os lugares mais distantes e aparentemente menos generosos para alcançar e inspirar.

Shabat Shalom.

Uma resposta

  1. Shalom Rabino
    Quero agradecer pela breve exposição da parasha. Na verdade nós humanos precisamos de ser coparticioantes da obra divina na terra. Não podemos somente ser receptores das bênçãos. Temos que contribuir para fazermos da terra um local maravilhoso para o ser humano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *