Congregação Judaica Shaarei Shalom – שערי שלום

Tempo de leitura: 2 Minutos

A Perashat Mishpatim é a 53ª seção da Torah e faz parte do livro do Êxodo. É geralmente lida no Shabbat logo após a celebração da festa de Shavuot. A Perashat Mishpatim inclui uma série de leis e ordenanças dadas a Moisés por D’us no Monte Sinai, incluindo leis sobre julgamento justo, trabalho escravo, relações familiares e comerciais, bem como leis sobre sacrifícios e obediência religiosa.

Rashi, o famoso comentarista judaico do século XI, destacou a importância da justiça e da compaixão nas leis dadas na Perashat Mishpatim. Ele escreveu: “Este é o verdadeiro caminho da justiça, tratar o próximo com amor e compaixão, como se fosse você mesmo” (Êxodo 22:20).

O filósofo e teólogo judaico Maimônides destacou a importância da observância dessas leis no estabelecimento de uma sociedade justa e harmoniosa. Ele escreveu: “A sociedade deve ser governada por leis justas e equitativas, para que todos os seus membros possam viver em paz e prosperidade” (Guia dos Perplexos, III:51).

O rabino Isaac Alfasi destacou a importância da interpretação correta dessas leis, escrevendo: “As leis dadas na Perashat Mishpatim são fundamentais para a vida judaica, mas é importante que sejam interpretadas corretamente para seu pleno cumprimento” (Sefer Ha-Halakhot, Hilchot Avodah Zarah).

O poeta e filósofo judaico Judah Halevi enfatizou a importância da obediência às leis divinas, escrevendo: “Aquele que desobedece às leis dadas na Perashat Mishpatim está desobedecendo a D’us e negando a importância da vida judaica” (Kuzari, 2:44).

O comentarista bíblico Abraham ibn Ezra destacou a importância da interconexão dessas leis, escrevendo: “As leis dadas na Perashat Mishpatim estão interconectadas e formam uma teia completa para a vida judaica” (Comentário do Êxodo, 22:1).

O Talmude destaca a importância da aplicação prática dessas leis, enfatizando que elas não são apenas para ser estudadas, mas também para serem colocadas em prática na vida diária. O Talmude ensina: “Não basta conhecer as leis dadas na Perashat Mishpatim, é preciso colocá-las em prática e fazer delas uma parte integral da vida judaica” (Baba Metzia, 33b).

A Cabalá, por sua vez, enfatiza a importância espiritual dessas leis e como elas são uma expressão da vontade divina e da ordem do universo. O Zohar, o principal texto da Cabalá, ensina: “As leis dadas na Perashat Mishpatim são a manifestação da luz divina e da justiça eterna, e são a chave para a conexão com a divindade” (Zohar III, 151b).

Ao compararmos as diferentes visões, podemos ver que há muitos paralelos entre elas. Todas destacam a importância da justiça, da compaixão, da obediência às leis divinas e da aplicação prática dessas leis na vida judaica. Ao mesmo tempo, cada tradição judaica oferece uma perspectiva única e valiosa sobre as leis da Perashat Mishpatim e sua importância para a vida judaica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *